Um dos meus Hinos favoritos é o de número 171, cujo nome é “A Verdade O Que É?”. Na letra de sua música lê-se o seguinte:

A verdade o que é? É o supremo dom que é dado ao mortal desejar, procurai no abismo na treva e na luz, nas montanhas e vales o seu claro som, e grandeza ireis contemplar!

A verdade o que é? É o começo e fim, para ela limites não há, pois que tudo se acabe, a terra e o céu, sempre resta a verdade que é luz para mim, dom supremo da vida será!”

Faço um convite a todos que desejarem ler e participar deste blog: busquemos a verdade, onde quer que ela estiver.

Críticas, comentários e sugestões serão muito bem-vindos, desde que haja o devido respeito. Estou disponível para esclarecer quaisquer dúvidas que meus posts e/ou minhas traduções possam vir a suscitar.

Para quem desejar debater, conversar e tirar dúvidas, este é o e-mail do blog: averdadesud@hotmail.com.


segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Mark Hofmann - Enganando Os Apóstolos e Profetas


Traduzido e adaptado do site ExMormon.org

Mark Hofmann foi um falsificador e observador perspicaz do comportamento humano. Como qualquer bom vigarista, ele sabia que parte de seu sucesso de fabricação e venda de falsos documentos históricos dependia da disposição das vítimas: pessoas que queriam acreditar nas suas reivindicações. 

Uma lista de alguns documentos forjados por Hofmann pode ser vista no site da FAIR AQUI.

Crescendo como mórmon, Hofmann percebeu que estava cercado por pessoas crédulas que foram ensinadas a confiar naqueles que se apresentavam como autoridades. Ele também viu que eles eram loucos sobre a sua história sagrada e lendas. Houve uma situação propícia para a exploração. 

O método de Hofmann consistia em aprender que tipo de documentos as pessoas realmente queriam encontrar e, então, ele iria "encontrar-los". Produzir o que as pessoas queriam garantiu um mercado lucrativo. Ou ele iria criaria coisas que ninguém imaginava existir sendo mais difícil de contestar sua autenticidade. 

Hofmann tinha um ressentimento contra a Igreja, então ele ficou especialmente feliz em vender falsos documentos ligados à Igreja. 

Uma coisa era enganar colecionadores, seria completamente outra para enganar os dirigentes supostamente inspirados da igreja. Além disso, eles tinham "bolsos mais fundos".

De seus anos ao redor documentos antigos e estudando a história da igreja, Hofmann aprendeu que havia muitos esqueletos no armário Mórmon. A Autêntica história SUD é muito mais sombria do que a "Versão Oficial". Ele também sabia que a Igreja estava interessada em adquirir documentos potencialmente embaraçosos para que eles pudessem ser suprimidos. Novamente, a situação estava propícia para a exploração.

Como a maioria dos Mórmons inativos, Hofmann tinha certeza que os irmãos não tinham nenhuma luz divina especial, sem poderes de discernimento. Entretanto, eles tinham acesso à especialistas em documentos antigos. Então Hofmann testou as águas com algumas falsificações menores. E o peixe pegou a isca.  
Líderes SUD se reúnem com Mark Hofmann (Gordon B. Hinckley à direita, e Boyd K. Packer ao fundo)

Hofmann sabia que Joseph Smith e sua família estavam fortemente envolvidos com astrologia, rituais de magia e alquimia. Ele sabia que eles acreditavam em feitiços e encantamentos, em fantasmas e em criaturas que mudam de forma. E ele sabia que os irmãos sabiam e que não queriam que outros soubessem, porque não "promovia a fé".  

Então Hoffmann inventou a "Carta da Salamandra", um relato em que Joseph Smith afirmava ter falado com uma salamandra que de repente vira um anjo. A falsificação ligaria a prática de ocultismo e as origens do mormonismo.

O fato de os líderes da Igreja terem aceitado a Carta da Salamandra como verdadeira nos diz muita coisa. Primeiro, eles não disseram algo como "Joseph Smith, O Profeta eleito do Senhor, nunca veria coisas como salamandras. Isso nunca aconteceria, logo esse documento deve ser falso". Ao invés disso, eles aceitaram o fato de que Joseph teve essa visão, pois eles sabem que existem coisas ainda piores na história da origem do mormonismo.

Em segundo lugar, sabemos que nenhum dos irmãos envolvidos disse: "Hum, espere, algo não está certo. Estou tendo um estupor de pensamento, um sentimento ruim". Ou os irmãos não consultaram o Senhor sobre o documento e seu" descobridor "(ao contrário da alegação de não gastar um centavo do dinheiro do Senhor sem a sua benção ) ou eles não estavam em suficiente sintonia com o Espírito para receber a mensagem, ou o Senhor não se importou, ou não havia nenhuma força divina lá fora para dar-lhes uma pista. 

Como é que os líderes da Igreja puderam se reunir várias vezes com Mark Hofmann e nunca discernir o espírito escuro dentro dele? Como não podiam reconhecer o demônio em seu meio? E quantas vezes antes eles tinham falhado em desafios semelhantes? Quantas vezes mais eles falhariam? 

No entanto, nesse meio tempo, um membro da igreja, com credenciais muito menores do que os irmãos, começou a suspeitar de que Hofmann foi um falsificador - baseado na experiência pessoal, fatos e investigação, em vez de sentimentos ou orientação divina.

Hofmann percebeu que ele podia ser exposto, então ele explodiu o homem com uma carta-bomba. Para lançar a investigação para longe de si mesmo, ele tentou associar a explosão da bomba com o primeiro sócio de negócios desse homem, mas sem querer matou a mulher do sócio. Ele estava tentando entregar outra bomba, mas ela explodiu com ele.

Carta da Salamandra
Pessoas morreram porque os irmãos supostamente "inspirados" não tiveram a menor ideia de que estavam lidando com um criminoso. Acredito que Hofmann fosse esperto o suficiente para vestir uma camisa fina por baixo enquanto se reunia com os líderes. Um garment seria toda a recomendação que os líderes iriam exigir.

Caso os líderes SUD tivessem desconfiado de Hofmann antes, duas mortes de inocentes seriam evitadas, e duas famílias não teriam sofrido a perda de um dos pais. E os líderes realmente aparentariam ser inspirados, ao invés de homens de negócios com opiniões próprias.

E quanto aos especialistas da Igreja? Bem, eles se mostraram não tão especialistas assim. (Quem constratou esses caras? Ah, sim, os irmãos). Além disso, como funcionários da Igreja, eles sabiam que seu dever era concordar com os irmãos, e não dizer que eles estavam errados.

O caso Hofmann foi uma vergonha para a Igreja. Porém, não imagino que tenha sido um caso isolado. Os líderes trabalham em segredo, com finanças escondidas, respondendo a ninguém, exceto eles mesmos e as vozes em suas cabeças.

Através do caso Hofmann podemos ver a maneira com que os líderes agem. Mark Hofman vendeu mais e 15 cartas para a Igreja, e o dinheiro que ele recebeu passa facilmente da casa de 1 milhão de dólares. (Que sai do precioso dízimo dos SUD)
 

Um comentário:

  1. Poderia mostrar uma evidencia dessas aquisições? Não tem nada para provar isso que está afrimando? Quem comprou o material? humn....

    ResponderExcluir